Reforma ortográfica para quê?

Eu tenho uma lista relativamente extensa de assuntos capazes de despertar toneladas de tédio armazenadas – e a danada cresce dia após dia. Nem preciso dizer que esta “reforma ortográfica” é um deles. Sim, sim, há especialistas que sabem explicar, detalhe por detalhe, a razão para a reforma, suas vantagens e o que supostamente ganhamos com ela. Eu não sou lingüista ou professor de português, falo apenas como um sujeito comum que se esforça um pouco para escrever com clareza e correção. Vi a lista das alterações sugeridas e não consegui imaginar em quê grafar “heroico” no lugar de “heróico” vai ajudar a consolidar a língua portuguesa no panteão dos idiomas de relações internacionais – um dos objetivos da reforma.

Perdoem-me os que possuem maior conhecimento sobre as diferenças entre o português de Portugal, Brasil e Moçambique, mas a idéia toda me parece fruto de reuniões de burocratas e sua obsessão em ordenar a natureza até certo ponto caótica da sociedade. À exceção dos lusitanos, os demais países desta comunidade de 250 milhões de falantes ainda não chegaram perto de diminuir suas taxas de analfabetismo – real e funcional. A ironia de toda esta história é que adequação às novas normas da língua vai exigir investimentos estatais e privados de bom porte. Tudo em nome de uma ilusão de grandeza e padronização cultural na base da canetada tipicamente brasileira.

A propósito, Portugal não ratificou o acordo. Apenas o Bananão e dois bananinhas, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe disseram sim. Logo, ele não deve sair tão cedo.

Anúncios

8 Respostas to “Reforma ortográfica para quê?”

  1. Alexander Says:

    Muito bom!

  2. Renata Miloni Says:

    Quem inventou essa de reforma ortográfica não tem vergonha na cara: deixa público que não tem o que fazer da vida. E ainda deve se orgulhar disso.

  3. vaniele Says:

    muito bom
    mais é ruim para mim aprender

  4. Marcelo Lopes Says:

    Alex, Renata e Vaniele:

    Agora que a tal reforma (que na verdade, é um acordo, preciso corrigir o post…) já é fato consumado, só nos resta mesmo aprender a nova ortografia. E tem razão, Vaniele, é meio chatinho se acostumar com a idé… opa, ideia.

    Abs!
    Marcelo.

  5. eu Says:

    AFF !!!

    detestei..
    nós(estudantes) ja temos tantas coisas para estudar
    e agora mais essa

    ela pode ter sido criada no intúito de facilitar…
    mas tá é me complicando toda;

    mas já que ñ temos saída…

    vamos estudar

    AFF

    VLW

  6. Marcelo Lopes Says:

    eu (hein?),

    Não há mesmo saída, temos que estudar, gostemos ou não da ideia (que dificuldade é não acentuar…)

    Abs!,
    Marcelo.

  7. Carlos Says:

    “mais é ruim para mim aprender”

    Desculpe, mas pela antiga forma de se escrever … o pronome “mim” não conjuga verbo, e “mais” neste caso é sem a letra “i”, lembra do “mas” ??? quem sou eu ? Apenas um amante da forma antiga de escrita de nossa língua do país Brasil. Então para as pessoas que irão ler o meu comentário, por favor não falem mal, mas ajudem aos que ainda não sabiam disso.

    Então fica melhor assim:

    “mas é difícil eu aprender, a nova forma de se escrever as palavras”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: