E Regina Casé estava certa

Depois de ler este bizarríssimo relato da invasão do Baianinho a um avião da ponte aérea, sou obrigado a reconhecer: a periferia venceu. Não que haja algo de especialmente novo nisso; é apenas um fato. Tente ouvir o que o seu sobrinho,  moleque ou adolescente, anda ouvindo no MP3: 9 chances em 10 de que seja algum funk de letra bem cabulosa.
É claro que todo grupo social cria sua própria cultura, seus valores, e todo aquele blá, blá, blá de sociólogo. O que quero dizer é que esta afirmação constante da cultura da periferia serve também a uma idéia inacreditavelmente cruel: a de que, por estar legitimada, a pobreza não precisa ser combatida ou vencida. Basta nivelar tudo por baixo, a começar pela cultura. É mais ou menos como o governo brasileiro faz ao divulgar a cultura brasileira (fiquei na dúvida: colocava aspas em “divulgar”, “cultura brasileira” ou ambos?) em eventos internacionais: tome escola de samba, futebol e Ivete Sangalo!
Sempre penso nisso quando vejo algumas favelas aqui de BH, com seus barracões impecavelmente pintados, mas ainda apinhados em morros, sem esgoto tratado, prestes a cair ao sinal de qualquer chuva e, não raro, acuados por criminosos. Não há como negar a cultura que nasce dali, mas tranformá-la em um colchão que absorve as possíveis ambições de melhoria para a vida das populações é muito, muito cômodo. Uma comodidade que parece se adaptar perfeitamente a preguiça nata de governantes e governados “nezte paiz”.
Então, todo mundo cantando junto: PaparaPaparaPaparaPapa…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: