Topifaive Títulos absurdos de filmes em português

1) O Médico Erótico

Comédia dirigida por Carl Reiner (mais conhecido hoje em dia como Saul do bando de Danny Ocean, na série Onze, Doze, Treze Homens e…) e estrelada por Steve Martin. A dupla ainda faria algumas das melhores comédias dos anos 70/80, como O Panaca/The Jerk, Um Espírito Baixou em Mim/All of Me e Cliente Morto Não Paga/Dead Men Don’t Wear Plaid. Mas nada, nada no mundo justifica este título ridículo em português para The Man with Two Brains(O Homem com Dois Cérebros), que mais parece saído das madrugadas do canal Cinemax. A história é abilolada e simples: médico que inventou o transplante de cérebros se casa com uma belíssima megera (Kathleen Turner) e se apaixona por outra mulher – ou melhor, pelo seu cérebro conservado vivo fora do corpo. Ah, sim, tente pronunciar o nome do médico: Dr. Michael Hfuhruhurr. Não importa como você o faça, ele jamais dirá que você acertou a pronúncia.

2) Parenthood – O Tiro que não saiu pela culatra

Confesso nunca ter tido paciência para assistir a isso. A qualidade das comédias de Steve Martin vem despencando ano após ano, chegando ao ponto mais baixo no dispensável revival de A Pantera Cor-de-Rosa. Eu imagino que este Parenthood seja algo parecido com o fraquíssimo Doze é Demais. Posso até estar enganado, mas de algo vindo do diretor-operário-padrão Ron Howard (seus melhores filmes são Coccon e Apolo 13) não dá para esperar grandes sacadas. Se alguém aí assitiu, consegue me explicar a razão deste “tiro que não saiu pela culatra”?

3) Os sufixos Sessão da Tarde (Do barulho, da pesada, muito louco) e Domingo Maior (Fatal, mortal, brutal)

Os clássicos sufixos feitos para encher lingüiça e paciência, divididos em duas categorias. Na Sessão da Tarde, os filmes-família, insípidos, inodoros e incolores, sempre com um bando de crianças chatas e alguns adultos incrivelmente idiotas. Na categoria Domingo Maior, produções de ação, umas poucas até boas, mas a maioria bem mambembe, estreladas por Michael Dudikoff (American Ninja; preciso dizer mais alguma coisa?) e dirigidas por um tal de Albert Pyun, incluindo umas 453 imitações meia-boca de O Exterminador do Futuro.

4) O Garoto do Futuro

Se houvesse código de defesa do consumidor em 1985, os espertos distribuidores nacionais teriam problemas. Michael J. Fox havia estrelado o inesquecível De Volta Para o Futuro e embarcou nesta furada sem pé nem cabeça, mas com muito pêlo – e sem Tony Ramos. Na verdade, eu não sei qual produção veio primeiro, mas não importa muito: Teen Wolf/O Lobisomem Juvenil é ruim de qualquer forma. O título é auto-explicativo, certo? Ok, então nem preciso entrar em detalhes. Esta tralha era exibida pelo SBT quase todo mês e felizmente jaz esquecida em algum galpão empoeirado da emissora, junto aos filmes dos Dobermans assaltantes e do Alligator (meu Deus, o que eu assistia nos anos 80…).

5) Daunbailó

Este é o campeão absoluto! Pena que, à esta altura do campeonato, todo mundo já sabe de onde veio o título malucão deste ótimo filme aqui no Brasil (e na Itália também, acho), não é? Não? Pensa um pouquinho. Desisitiu? Ok, titio Marcelo te conta o título original, mas fale em voz alta para entender: Down by Law. Transliteração fonética de aluno do CCAA no seu primeiro dia de aula à parte, é provavelmente o melhor filme do igualmente malucão Jim Jarmusch até hoje – a produção é de 1986. Ah, e antes que alguém pergunte, ainda não vi Flores Partidas. Quanto a Down by Law, convenhamos: um filme que consegue fazer do personagem interpretado pelo histriônico Roberto Begnini uma figura interessante e verdadeiramente cativante já merece um prêmio.

Anúncios

3 Respostas to “Topifaive Títulos absurdos de filmes em português”

  1. léo e só Says:

    olá Marcelo.

    E filmes com o título de Traídos…parara. Tem qualquer cheiro de suspense, não encontra um nome melhorzinho e não quer usar o título original, e´só por um Traídos ..parara.

    Por exemplo, hoje vi que Reservation Road ( excelente título para a trama do filme) aqui virou: Traídos pelo destino, digno de cine privê! :)!

    abs

  2. Marcelo Lopes Says:

    léo,

    É mesmo, o Traídos… é outro clichê bravo. Lembro sempre o Traídos pelo Desejo, do Neil Jordan, que era The Crying Game no original. Hum, ainda não vi Reservation Road, ops, Traídos pelo Destino, vou procurar.

    Abs,
    Marcelo

  3. Os melhores títulos de filmes estrangeiros para o português de Portugal - Parte IV | Afinidades Eletivas Says:

    […] mas, principalmente, como terapia para minha ojeriza aos nomes que as fitas ganham no Brasil (aqui e aqui você encontra bons exemplos do que estou […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: