Começos inesquecíveis: Coração Tão Branco, de Javier Marías

Não neguemos: a literatura nos pega logo nas primeiras frases. Autores capazes de capturar nuances, insinuar, instigar, logo no início de suas obras são poucos e raros – pensa-se logo em Kafka, Melville, Nabokov. Então começo esta série com a espetacular frase de abertura de Coração Tão Branco, do espanhol Javer Marías, na tradução de Eduardo Brandão:

Eu não quis saber, mas soube que uma das meninas, quando já não era menina e não fazia muito voltara de sua viagem de lua-de-mel, entrou no banheiro, pôs-se diante do espelho, abriu a blusa, tirou o sutiã e procurou o coração com a ponta da pistola do próprio pai, que estava na sala do almoço com parte da família e três convidados.

Uma resposta to “Começos inesquecíveis: Coração Tão Branco, de Javier Marías”

  1. Coração Tão Branco, de Javier Marías « Universo Tangente Says:

    […] Tão Branco, de Javier Marías By Marcelo Lopes Pouco tempo atrás, postei aqui o início deste impressionante romance do espanhol Javier Marías, Coração Tão Branco. Quando comecei a leitura (lentíssima, aliás; problemas pessoais estenderam-na por quase dois […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: